Será o leite o vilão?

Será o leite o vilão?

Você sofre de problemas respiratórios ou intestinais ou está acima do peso e com dificuldades para emagrecer? Saiba que aquela barriguinha que resiste até mesmo ao seu super treino na academia pode ser causada pelo seu cardápio, ainda que você capriche na dieta. E nesses casos, o primeiro alimento suspeito da lista pode ser o leite.

Não, não estamos falando dal intolerância à lactose, mas sim de uma alergia causada pelas proteínas do leite. E essa alergia pode se manifestar sob outras formas e não apenas na sua cintura. Na lista de problemas que podem ser causados pelo leite estão a candidíase, rinite, sinusite, gastrite e até mesmo celulite. A maneira mais simples de saber se você possui alergia ao leite é suspender leite e derivados da sua dieta durante um mês e verificar se os problemas que você tem desaparecem ou melhoram significativamente.

Vale a pena fazer este teste pois muitos problemas de saúde podem ser decorrentes da alergia às proteínas do leite, principalmente a caseína e a betalactoglobulina. Segundo a nutricionista Denise Madi Carreira, o organismo humano não tem enzimas para digerir essas proteínas, sendo que a ingestão de leite ao longo dos anos leva a alterações na parede intestinal, responsável pela absorção dos nutrientes. Quando ocorre essa alteração, moléculas tóxicas, que seriam excretadas normalmente, não são eliminadas e caem na corrente sanguínea, deixando o organismo mais vulnerável à doenças.

Se você acha impossível viver alguns dias sem o leite no seu café da manhã, então, há grandes chances de você pertencer ao grupo de pessoas alérgicas ao leite e derivados. É comum que alimentos que nos causem alergia dêem uma sensação bem-estar acima do normal, logo depois de consumidos. E isto é um ciclo vicioso. Quanto mais leite você bebe, mais precisa dele. Assim, o processo inflamatório se instala e a gordura abdominal fica ainda mais resistente.

O leite e seus derivados sempre estiveram na lista de ótimas fontes de cálcio, porém, seu consumo sempre teve ressalvas devido à intolerância a lactose, um problema mais frequente e mais conhecido do público em geral. Diferente da alergia, a intolerância é decorrente da incapacidade do organismo em produzir uma enzima digestiva chamada Lactase, responsável pela digestão da lactose. A concentração de lactase em nosso organismo é alta quando nascemos e vai diminuindo ao longo da vida. Entretanto, existem pessoas que nascem sem a capacidade de produzir lactase e enquanto bebês podem apresentar diarréia crônica ao serem alimentados com leite animal. Isto é comum em prematuros com menos de 30 semanas. Entretanto, o mais comum em indivíduis cuja gestação foi completa é a intolerância se manifestar ao longo da vida, decorrente da redução na produção de lactase, que pode ser definitiva ou temporária, neste último caso, em decorrência de outros problemas de saúde normalmente relacionados ao intestino.

Quando não é digerida, a lactose passa por um processo de fermentação no intestino e se transforma em comida para fungos e outros microorganismos típicos da flora intestinal, que se multiplicam causando doenças e deixando as bactérias do bem, como os lactobacilos, em desvantagem. Quando isso acontece, o corpo dá sinais: intestino preso, dores abdominais, flatulência, dores de cabeça e dermatite atópia uma alergia de pele que provoca manchas avermelhadas e coceira.

Como as vitaminas e outros nutrientes essenciais dependem de um intestino sadio para ser absorvidos, o bom funcionamento do organismo como um todo acaba sendo afetado. Como já foi sugerido no início desta matéria, suspender o consumo de leite e seus derivados por 30 dias é a forma mais prática e eficiente para avaliar se o leite está lhe causando algum problema. No caso da intolerância à lactose, o consumo de iogurtes e queijos é possível, desde que com moderação, pois estes derivados do leite possuem menos lactose. Já no caso das pessoas alérgicas, o ideal é substituir o leite por outro alimento, principalmente aqueles que são fontes de cálcio. Se você constatar que a suspensão do leite melhora a sua saúde em geral, procure um nutricionista para receber orientação sobre quais alimentos e em que quantidades eles devem ser incluídos na sua dieta. Fique atenta a esta reposição pois 0 cálcio é importante para a formação e manutenção dos ossos e na prevenção da osteoporose.’

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.